segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Rodadas de Poemas com José Alberto Sá



De José Alberto Sá
A caixa

 

Trouxe comigo uma caixa
Encontrada no mar
Envolta por uma faixa
Segredos do meu olhar
O mar me oferecia
Talvez um desejo
Talvez o sol, a luz do dia
Talvez amor, talvez um beijo
Caixinha sem chave
Ornamentada de sal cristalino
Leve na mão, no voar de uma ave
Caixinha do mar, de faixa de linho
Quis eu te abrir
Quis eu saber teu segredo
Ler tua carta, querendo sorrir
Amar teu enigma, abrir-te sem medo
Oh... Quanta luz refletida
No interior de cetim
Cor brilhante, olhar de rapariga
Uma foto continha, sorrindo para mim
Bela! Linda! Pura! Celestial!
Uma sereia do meu mar
Sonho tornado realidade, fenomenal
Rapariga do meu sonhar.
Peguei-lhe e por trás dizia
Meu nome em letra dourada
Caixinha da minha alegria
Pelo mar ali deixada
Quem seria a menina maresia
Que tantas vezes sonho com ela
Pensamentos de noite e de dia
De uma menina com cheiro a canela
Fechei a caixinha, com todo o respeito
Caixinha do sol que eu tinha na mão
Fechada por mim, apertada no peito
Queria senti-la em meu coração

Um comentário:

  1. Lindo!
    Apaixonante!!!!
    Amei ler seu poetar!

    ResponderExcluir

Obrigada por participar deste blog.Volte e comente sempre!!!
Aqui você vai encontrar "Aquele Poema".