quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Rodadas de Poemas com Mário Quintana



De Mário Quintana
O tempo


A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa. 
Quando se vê, já são seis horas! 
Quando de vê, já é sexta-feira! 
Quando se vê, já é natal... 
Quando se vê, já terminou o ano... 
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida. 
Quando se vê passaram 50 anos! 
Agora é tarde demais para ser reprovado... 
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio. 
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas... 
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo... 
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo. 
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz. 
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

2 comentários:

  1. Obrigado por compartilhar, Gerlane! Gosto muito desse poema!

    ResponderExcluir
  2. Maria Ivoneide Juvino de Melo16 de fevereiro de 2013 11:46

    Um clássico de nosso genial poeta gaucho Mario Quintana ...o poema é profundo e reflexivo quão terno e afável ! obrigada querida professora e amiga Gerlane, receba meus parabéns pela difusão da poesia que tão carinhosamente faz a esta geração dando oportunidade de se chegar ou popularizar a poesia brasileira ! obrigada

    ResponderExcluir

Obrigada por participar deste blog.Volte e comente sempre!!!
Aqui você vai encontrar "Aquele Poema".